sexta-feira, 22 de março de 2013

QUEM DISSE QUE O CRUZEIRO VIVE DO PASSADO?

AUTOR: MATEUS MOREIRA

Cara, o tal do Atleticano nasceu pra ser comediante, ou no mínimo, não tem a menor noção daquilo que fala. Nunca viu o time ganhar nada além de um campeonato de série B e fala que quem vive de passado é o Cruzeiro! Será que somos nós Cruzeirenses que vivemos de passado? Quem resume a história do time a um mísero Brasileiro conquistado na época de guaraná de rolha, que eu saiba, é quem está do lado escuro da lagoa, portanto Atleticano, reveja seu conceito sobre viver de passado.

Aí, quando não fala de passado, vem lá a Rosada se vangloriando de um retrospecto 100% na fase de grupos da Libertadores, como se fosse o maior feito possível. Ora, realmente acho que, para o Atlético/MG, este seja um feito histórico, mas não pense que isto é algo excepcional, porque realmente não é. Espere a fase eliminatória e aí sim, venha me falar de grandes feitos. Vamos lembrar de quantas participações o museu de Vespasiano tem no campeonato continental, de quantos jogos disputou e de quantos títulos ganhou. Que eu saiba até a história do Marquinhos Paraná é melhor, pelo menos ele chegou a uma final, além de ter disputado mais jogos, é claro.

Bom, quando se depara com a frustração de nos ‘zoar’ por um campeonato que o Cruzeiro já conquistou 2 vezes, o torcedor do Galão da Argamassa vem me falar que “Quem cai no Horto tá morto e quem cai na Toca é bitoca”. Pois bem, indo além da pouca criatividade e da ‘zoação’ de baixíssimo calão, vamos analisar a frase: Se considerarmos como Toca o Mineirão, famosa Toca III, veremos que o Time mineiro que caiu jogando ali foi o próprio Atlético, rebaixado para a série B. Portanto, quem caiu jogando na Toca, me desculpem, não foi o Cruzeiro. Aliás, me corrijam, mas o verdadeiro time grande de Minas Gerais nunca caiu, não é mesmo?

Ah, mas mesmo sendo pior que o Cruzeiro em tudo que se disse acima, quem ganhou de 9×2 (do Palestra Itália) foi o ‘Galão’. Po**a, nunca vi nem foto deste suposto fato levantado pela Atletiaia depois dos dois 5×0 seguidos – que não bastaram – e do histórico 6×1. Até o SporTV e o Fantástico tiraram sarro do Galinho, mas quem vive de passado é o Cruzeirense não é mesmo?

Outro dia me perguntou um sofredor Rosado, lá do fundo do seu recalque: “Já decidiu pra qual time você vai torcer hoje na Libertadores?”. Bom, meus amigos, o Cruzeiro não está disputando a Libertadores, portanto, não vou torcer para nenhum time! Quem ganhar, que seja! Agora, acho que um sujeito que comprou camisa do Estudiantes em 2009, além de dar a bandeira do seu grandioso Patético para que o Verón estendesse na comemoração do título Argentino (única maneira do Atlético aparecer no topo da Libertadores, não é mesmo?); que comprou camisa do Bayern e do Borussia em duas finais mundiais; que torceu pro Santos e pro Robinho em 2003 e quase chorou vendo o Flamengo derrotado no mesmo ano; não tem legitimidade alguma para perguntar, em tom de ‘zoação’, para qual time torcerei.

Quem tem vocação pra torcida multicolorida, pelo que mostra a história, não é o Cruzeiro! Aliás, lembro-me de um Cruzeirense que, em 2009, resumiu que bom mesmo é ser Atleticano, porque o torcedor de Vespasiano, em 13 anos, ganhou um Mundial, uma Libertadores e um Brasileiro! Lógico, não quando seu primeiro time ganhou, mas quando Borussia, Estudiantes e Corinthians se sagraram vencedores. Mas qual o problema de não ser o Atlético, o que importa é a festa não é mesmo?

Não importa isso tudo, hoje o R10 é do Galo. Quanta honra, o nome do Jogador estampa jornais de todo o Mundo! Acho que devemos relembrar as manchetes mundiais a respeito do R49: A Revista inglesa FourFourTwo, por exemplo, assumiu total desconhecimento sobre o time mineiro, o comparando, ironicamente, ao St. Mirren, um dos clubes mais antigos da Escócia, mas sem qualquer expressão no campeonato local. Realmente, o Ronaldinho estampa jornais em todo o Mundo, mas agora o time que já era chacota nacional, virou chacota global! “Não importa, é uma honra, somos falados em todo o Mundo, falem bem, falem mal, mas falem do Galão!”.

A diferença da repercussão mundial entre Cruzeiro e Atlético/MG é enorme. A FIFA divulgou em seu site reportagem sobre a rápida ascensão de “[...] um dos gigantes do futebol brasileiro [...]”, responsável por revelar “[...] um atacante brilhante que viraria sinônimo do clube: Eduardo Gonçalves de Andrade, mais conhecido como Tostão.”, além, logicamente, de lançar “[...] ao mundo um certo Ronaldo Nazário de Lima.”. Realmente, o tratamento dispensado pela mídia mundial ao Cruzeiro e ao ‘Galão’ é o mesmo, dá-lhe R10! Zinedine Zidane, mito do futebol Francês, que o diga: “O futebol brasileiro passa muito pouco na Europa, mas [...] Conheço alguns clubes como o Cruzeiro [...]”.

Enfim, não vou me delongar tecendo maiores comentários sobre a diferença enormemente discrepante entre a quantidade de títulos expressivos conquistados por Cruzeiro e Atlético; não vou discutir torcida enquanto as maiores médias de público do Mineirão são do Cruzeiro e todos os institutos de pesquisa com credibilidade nacional demonstram sem maior a torcida Azul; não vou discutir renda com estádios, porque a renda em três jogos no Gigante da Pampulha já superou a do estádio do Mequinha; não vou mais discutir grandeza, CONTRA FATOS NÃO HÁ ARGUMENTOS, e os fatos fazem saltar aos olhos LA COLOSAL BESTIA NEGRA!

E para os Rosados, que se contentem com sua inexpressividade e os títulos do primeiro turno do Brasileiro de 2012 e da primeira fase da Libertadores de 2013, porque meu Cruzeiro está no caminho certo em 2013 e tenho fé, me dará muita alegria!
Postar um comentário